quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Menos depressão, mais ação!


Imagem Ilustrativa

Conhecida como a mais popular entre as doenças consideradas o mal do século, a depressão vem assolando a sociedade, afetando indivíduos de todas as idades, cor, sexo e classe social. 

A doença se instala de manira discreta, principalmente quando a pessoa sofre alguma frustração, seja perda do emprego, animal de estimação ou alguém do seu convívio social, causando uma profunda tristeza, ansiedade, mudanças bruscas de humor, pessimismo em relação a vida e em casos extremos, suicídio.

Essa apatia transforma de maneira drástica e negativa a rotina do depressivo, o mesmo encara os sintomas como algo passageiro não buscando ajuda para livrar-se destas sensações. Com o passar do tempo os sintomas aumentam, nota-se a falta de interesse nas atividades, fica difícil trabalhar, estudar, e a família precisa estar atenta a estes comportamentos.

Por não reconhecer que precisa de cuidados, o doente resiste em procurar ajuda médica. Nestes casos familiares e amigos precisam compreender e demonstrar total apoio emocional. A cura do paciente depressivo é possível com acompanhamento psicológico, uso de medicamentos e força de vontade do doente de livrar-se desta moléstia.

Diante da correria diária, algumas pessoas esquecem do quanto é imprescindível desacelerar em certos momentos, buscando o equilíbrio psíquico. Dedicar poucos minutos para realizar uma atividade prazerosa e fora da rotina ajuda a equilibrar os pensamentos aliada a paz interior.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário