quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Bullying na infância.

Imagem Ilustrativa

Ao longo da vida acumulamos aprendizado, sonhos e lembranças da infância. Justamente nesta fase acontece o que a sociedade atual define como bullying, que tem como características violência física, psicológica intencional e repetitiva provocada por um ou mais agressores.

Tudo começa sem motivo aparente, surgem apelidos depreciativos, agressões e difamações constantes. Nem sempre notados pelos professores e familiares, visto que a vítima não conta a experiência vivida. Uma vez instalada, essa intimidação sistemática causa à vítima dor, sofrimento, angústia, baixa auto estima e apatia.

Diante dos fatos, a criança para de interagir com os amigos, familiares preferindo o isolamento. O rendimento escolar fica comprometido. Neste aspecto família e escola se atentam para buscar as causas de tal comportamento. Uma vez detectado o acompanhamento psicológico é um dos tratamentos mais recomendados para as vítimas de bullying, em casos mais severos o uso de medicamentos ansiolíticos se faz necessário. Quanto mais cedo o diagnóstico, maior as chances de superação.

Visando coibir estas ações, foi criada em 2015 uma lei popularmente chamada de "lei anti bullying". Além desta ferramenta, as escolas precisam capacitar os docentes para debater com frequência o assunto em sala de aula. Outro aspecto positivo são campanhas educativas relacionadas ao tema e maior orientação dos pais na identificação do problema. Todos precisam estar unidos para promover a cidadania e valores como a tolerância e respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário