terça-feira, 31 de maio de 2011

Como o Vagalume produz a luz??

São besouros que emitem luz. Porém, nem todas as espécies possuem luminescência. Só algumas espécies, ao longo da evolução, incorporaram a bioluminescência porque ela facilita a comunicação sexual e a defesa. Os vagalumes que não emitem luz em geral desenvolvem atividades diurnas. A luz é produzida pelo organismo do inseto com uma reação bioquímica que libera muita energia. O processo chamado de "oxidação biológica", permite que a energia
química seja convertida em energia luminosa sem a produção de calor, por isso é chamada de luz fria. As luzes têm diferentes cores, pois variam de espécie para espécie e nos insetos adultos facilitam a atração sexual. Os lampejos equivalem ao início do namoro: são códigos para atrair o sexo oposto. Mas a luminescência também pode ser usada como instrumento de defesa ou para atrair a caça. Uma molécula de luciferina é oxidada por oxigênio, em presença de ATP (trifosfato de adenosina), ocorrendo assim a formação de uma molécula de oxiluciferina, que é uma molécula energizada. Quando esta molécula se desativa, ou seja, quando ela perde sua energia, passa a emitir luz. Esse processo só ocorre na presença da luciferase, que é a enzima responsável pelo processo de oxidação. As luciferases são proteínas compostas por centenas de aminoácidos, e é a seqüência destes aminoácidos que determina a cor da luz emitida por cada espécie de vagalume. Para cada molécula de ATP consumida durante a reação, um fóton de luz é emitido. Portanto, a quantidade de luz enviada pelo vaga-lume indica o número de moléculas de ATP consumidas. Um problema que ameaça os vaga-lumes é a iluminação artificial, que por ser mais forte, anula a bioluminescência, podendo interferir diretamente no processo de reprodução da espécie que podem sofrer perigo de extinção

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Tudo sobre o Soluço

O QUE É?
O soluço resulta de um estímulo involuntário de músculos relacionados com a respiração, principalmente o diafragma (calota muscular que divide o tórax do abdômen), levando a uma inspiração rápida e curta, não sincronizada com o ciclo respiratório.
O QUE SE SENTE?
Na grande maioria das vezes o soluço causa não mais do que um desconforto com duração de poucos minutos. No entanto, certas vezes, os soluços podem permanecer por várias horas ou dias, levando a busca de atendimento médico.
QUAIS SÃO AS CAUSAS?
Apesar de não haver um mecanismo conhecido para o início de um episódio de soluço, certas situações são descritas como causas corriqueiras de soluço.
Alguns exemplos são: 
*distensão gástrica pela ingesta de bebidas com gás (refrigerantes),
*deglutição de ar ou alimentação em grande volume,
*mudanças súbitas de temperatura de alimentos ingeridos ou mesmo da pele (sauna-ducha gelada),
*ingestão de álcool
*gargalhadas.  

Causas neurológicas: Traumatismo(acidentes de carro), acidente vascular cerebral("derrame"), tumor cerebral.

Causas metabólicas:
Insuficiência renal com altos níveis de uréia sangüínea, respiração rápida levando a diminuição de dióxido de carbono no sangue, excesso ou falta de íons (K, Na, por exemplo).

Estímulo direto ao nervo vago:
Objetos acidentalmente introduzidos no ouvido, aumento da tireóide, tumores no trajeto do nervo vago na cabeça, pescoço, tórax ou abdômen, pneumonias, infarto, esofagite, hepatites e pancreatites.

Causas cirúrgicas:Anestesia geral e estado pós-anestésico.

COMO SE TRATA?
Algumas manobras podem ser úteis na resolução de quadros agudos e benignos de soluço. Entre elas estão a tração da língua, elevação da úvula ("sininho" da garganta) com uma colher, ingesta de uma colher de açúcar, trancar a respiração, assoar o nariz, dobrar as pernas sobre o abdômen, inspiração rápida (como ocorre quando levamos um susto) e alívio da distensão abdominal por eructação (arroto) ou sonda nasogástrica.
Quando o soluço chega a motivar procura de assistência médica, geralmente já está presente há pelo menos várias horas ou dias. Nesse caso, as causas acima mencionadas de soluço persistente devem ser investigadas.
A ordem da investigação será orientada pela presença ou não de sintomas concomitantes ao soluço que possam indicar uma causa.
A avaliação inclui um exame neurológico detalhado, seguido de exames básicos de sangue e radiografia de tórax. Não sendo encontrada a causa e permanecendo com o sintoma, a avaliação prossegue com tomografias de crânio, tórax e abdômen, ecocardiografia, broncoscopia e endoscopia digestiva.
Se uma causa é descoberta, o tratamento deve ser direcionado à causa. Se não é descoberta ou se o tratamento não é possível, certas medicações, geralmente de natureza sedativa podem ser usadas. Pela sua natureza, essas medicações sempre exigem avaliação específica do caso em questão e prescrição médica.

Hoje é dia do Geólogo


Um geólogo é o profissional de nível superior diplomado em Geologia ou Ciências Geológicas. Os geólogos estudam a estrutura e os processos que formaram a Terra, sua evolução ao longo do tempo e os aspectos práticos da aplicação desses conhecimentos para o bem comum. Tão logo termine a graduação, o geólogo deve ter seu diploma registrado no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura(CREA), para exercer a profissional legalmente.
Durante o curso de graduação as matérias típicas abordadas incluem a Geografia, Química, Física, Matemática e Biologia, além das aulas oferecidas pelo departamento de geologia; como Geologia Geral, Paleontologia (estudo de fósseis), Vulcanologia (estudo dos vulcões), Hidrogeologia (estudo dos recursos hídricos), Petrologia (estudo de rochas) e Mineralogia (estudo de minerais), Geoquímica (estudo da distribuição dos elementos nos planetas), Geofísica, Geologia Estrutural (estudo das formas e deformações das rochas e sua origem) e Tectônica(estudo das estruturas das rochas e sua origem em escala regional ou global), Estratigrafia,(estudo do empilhamento das rochas e idades relativas), Geomorfologia (estudo das formas do relevo terrestre e evolução das paisagens), entre outras.
Os geólogos também aprendem técnicas de cartografia geológica, topografia e comumente utilizam bases topográficas GPS (Global Positioning System ou em português Sistema de Posicionamento Global), imagens de satélites, fotografias aéreas e outras técnicas de mapeamento. Matérias de Geologia também são muito relevantes para estudantes de Geografia, Engenharia, Química, Ecologia, Biologia, Planejamento Urbano, Arqueologia, Meio Ambiente, Estudos Forenses e Perícia Policial, Medicina, Agronomia e outras áreas. Geólogos profissionais trabalham para uma grande variedade de agências governamentais, empresas privadas e instituições acadêmicas e sem fins lucrativos. Governos contratam geólogos para ajudar no planejamento e avaliação de escavações, áreas de construção, projetos de recuperação ambiental, preparação para desastres naturais assim como estudo de recursos naturais. Engenheiros geológicos (um geólogo treinado, com experiência e certificação no campo da engenharia geológica) é requisitado para investigar desafios e restrições de natureza geológica que se apresentam durante os processos de planejamento, projeto e construção de obras de engenharia públicas e privadas, perícia forense, análise de impacto ambiental e outros. Companhias de petróleo, mineração e preparação de terrenos em larga escala contam com as habilidades de geólogos e engenheiros geólogos para localizar petróleo e minerais, adaptar-se a características locais como karst deposits ou de risco de terremotos, vulcões, deslizamentos, desmoronamentos e adequar-se a regulamentações ambientais. Geólogos na academia normalmente alcançam elevado grau de formação em campos especializados dentro da disciplina. Geólogos fazem também, estudos de locação de poços de águas subterrâneas e outros recursos hídricos e auxiliar proprietários poços de recursos hídricos, a entrar com o pedido de Outorga junto às autoridades competentes do poder público que realizam a fiscalização e gerenciamento dos recursos hídricos.

sábado, 28 de maio de 2011

A importância da leitura


A prática da leitura se faz presente em nossas vidas desde o momento em que começamos a "compreender" o mundo à nossa volta. No constante desejo de decifrar e interpretar o sentido das coisas que nos cercam, de perceber o mundo sob diversas perspectivas, de relacionar a realidade ficcional com a que vivemos, no contato com um livro, enfim, em todos estes casos estamos, de certa forma, lendo - embora, muitas vezes, não nos demos conta. A atividade de leitura não corresponde a uma simples decodificação de símbolos, mas significa, de fato, interpretar e compreender o que se lê. Segundo Angela Kleiman, a leitura precisa permitir que o leitor apreenda o sentido do texto, não podendo transformar-se em mera decifração de signos linguísticos sem a compreensão semântica dos mesmos. Nesse processamento do texto, tornam-se imprescindíveis também alguns conhecimentos prévios do leitor: os linguísticos, que correspondem ao vocabulário e regras da língua e seu uso; os textuais, que englobam o conjunto de noções e conceitos sobre o texto; e os de mundo, que correspondem ao acervo pessoal do leitor. Numa leitura satisfatória, ou seja, na qual a compreensão do que se lê é alcançada, esses diversos tipos de conhecimento estão em interação. Logo, percebemos que a leitura é um processo interativo. Quando citamos a necessidade do conhecimento prévio de mundo para a compreensão da leitura, podemos inferir o caráter subjetivo que essa atividade assume. Conforme afirma Leonardo Boff, cada um lê com os olhos que tem. E interpreta onde os pés pisam. Todo ponto de vista é a vista de um ponto. Para entender o que alguém lê, é necessário saber como são seus olhos e qual é a sua visão de mundo. Isto faz da leitura sempre um releitura. [...] Sendo assim, fica evidente que cada leitor é co-autor. A partir daí, podemos começar a refletir sobre o relacionamento leitor-texto. Já dissemos que ler é, acima de tudo, compreender. Para que isso aconteça, além dos já referidos processamento cognitivo da leitura e conhecimentos prévios necessários a ela, é preciso que o leitor esteja comprometido com sua leitura. Ele precisa manter um posicionamento crítico sobre o que lê, não apenas passivo. Quando atende a essa necessidade, o leitor se projeta no texto, levando para dentro dele toda sua vivência pessoal, com suas emoções, expectativas, seus preconceitos etc. É por isso que consegue ser tocado pela leitura. Assim, o leitor mergulha no texto e se confunde com ele, em busca de seu sentido. Isso é o que afirma Roland Barthes, quando compara o leitor a uma aranha: 
[...] o texto se faz, se trabalha através de um entrelaçamento perpétuo; perdido neste tecido - nessa textura -, o sujeito se desfaz nele, qual uma aranha que se dissolve ela mesma nas secreções construtivas de sua teia.
Dessa forma, o único limite para a amplidão da leitura é a imaginação do leitor; é ele mesmo quem constrói as imagens acerca do que está lendo. Por isso ela se revela como uma atividade extremamente frutífera e prazerosa. Por meio dela, além de adquimirmos mais conhecimentos e cultura - o que nos fornece maior capacidade de diálogo e nos prepara melhor para atingir às necessidades de um mercado de trabalho exigente -, experimentamos novas experiências, ao conhecermos mais do mundo em que vivemos e também sobre nós mesmos, já que ela nos leva à reflexão. E refletir, sabemos, é o que permite ao homem abrir as portas de sua percepção. Quando movido por curiosidade, pelo desejo de crescer, o homem se renova constantemente, tornando-se cada dia mais apto a estar no mundo, capaz de compreender até as entrelinhas daquilo que ouve e vê, do sistema em que está inserido. Assim, tem ampliada sua visão de mundo e seu horizonte de expectativas. Desse modo, a leitura se configura como um poderoso e essencial instrumento libertário para a sobrevivência do homem. Há entretanto, uma condição para que a leitura seja de fato prazerosa e válida: o desejo do leitor. Como afirma Daniel Pennac, "o verbo ler não suporta o imperativo". Quando transformada em obrigação, a leitura se resume a simples enfado. Para suscitar esse desejo e garantir o prazer da leitura, Pennac prescreve alguns direitos do leitor, como o de escolher o que quer ler, o de reler, o de ler em qualquer lugar, ou, até mesmo, o de não ler. Respeitados esses direitos, o leitor, da mesma forma, passa a respeitar e valorizar a leitura. Está criado, então, um vínculo indissociável. A leitura passa a ser um imã que atrai e prende o leitor, numa relação de amor da qual ele, por sua vez, não deseja desprender-se. Texto: Maria Carolina, professora de Língua Portuguesa.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Você sabe do que é feito a teia da aranha?

Para muitos pode até parecer algo sem muita importância diante da "pressa e falta de tempo" do mundo moderno, por isso resolvi colocar este post, já que o principal objetivo deste Blog é resgatar em você a capacidade de percepção, então vamos lá! teia é como chamamos o conjunto de fios de seda produzidos pela aranha para sua sobrevivência. A teia é composta de minúsculos fios de seda, produzidos por glândulas que estão no abdômem da aranha, denominadas fiandeiras. Há diversos tipos de aranhas já catalogadas pela ciência e em todas elas notamos que há a produção de diferentes tipos de fios de seda, que são usados para 
finalidades diversas, temos fios de seda para encapsulamento da presa, para formar a "moldura", raios e espirais da teia, para formar os casulos. As aranhas são animais artrópodes pertencentes à ordem araneae da classe dos aracnídeos. A ordem araneae está dividida em três subordens: a Mygalomorphae (aranhas primitivas), a Araneomorphae (aranhas modernas) e a Mesothelae, a qual contém apenas a Família Liphistiidae, constituída de aranhas asiáticas raramente avistadas. Existem cerca de 40.000 espécies de aranhas, o que a torna a segunda maior ordem dos Aracnídeos (atrás da ordem acari). As aranhas são um grupo particularmente populoso. Em um gramado de uma colina não remexida na Inglaterra, do tamanho de um acre, estimaram-se 2.265.000 indivíduos.
As aranhas não são insetos e distinguem-se destes pelas seguintes características:
*têm quatro pares de pernas;
*não possuem asas ou antenas;
*seu corpo divide-se em duas partes (cefalotórax e abdômen);
O estudo das aranhas chama-se aracnologia..

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Cuidados com o cabelo no inverno


No inverno, os cabelos precisam de cuidados especiais devido às baixas temperaturas. Neste período, costumamos tomar banhos mais quentes e a alta temperatura da água acaba retirando o óleo do couro cabeludo, que tem função de proteção natural e lubrificação dos fios. Com a retirada deste óleo natural, o cabelo poder ficar com um aspecto ressecado, quebradiço, com pontas duplas. Em alguns casos, o organismo entende que preciso repor essa ausência de oleosidade e por isso, os cabelos podem ficar com aquele aspecto engordurado. Assim como no verão, os cabelos precisam de uma atenção especial quando o frio chega. E as principais dicas de cuidados com o cabelo no inverno são bem simples, confira: 
Hidratação

Utilizar shampoo e condicionador de boa qualidade e adequados para seu tipo de cabelo e fazer hidratação é a melhor opção para manter os fios saudáveis no inverno. Primeiramente é preciso fazer uma limpeza profunda dos fios e retirar todas as impurezas. Em seguida, faça uma hidratação com um creme específico para o seu tipo de cabelo. A hidratação deve ser repetida semanalmente.

Água morna

A água quente é um dos principais inimigos do cabelo no inverno. Desidrata os fios, aumenta a queda e provoca uma descamação o couro cabeludo que pode ser confundida com caspa. Por isso, evite água quente nos fios ao máximo, utilize sempre água morna.

Oleosidade

É natural os cabelos ficarem mais oleosos no inverno. Por isso, opte por condicionadores e cremes mais leves e para desembaraçar os fios, use produtos sem enxágüe.

Secador

O uso do secador deve ser feito corretamente, pois o ar quente nos fios provoca o enfraquecimento. Para que isso não ocorra, antes de secar o cabelo aplique um protetor térmico ou reparador de pontas para proteger os fios.

Dormir com cabelos molhados

Não é recomendado dormir com o cabelo molhado, pois além ficar úmido, torna-se fraco e quebradiço. Evite também usar chapéus, boinas, lenços e gorros em excesso, pois aumentam ainda mais a oleosidade do cabelo ocorrendo e podem provocar o surgimento de fungos e bactérias no couro cabeludo.

Massagem no couro cabeludo

Ao lavar os cabelos, massageie o couro cabeludo. Assim, a circulação e oxigenação estarão ativas e ocorre o aceleramento no crescimento dos fios.

Vulcão, beleza X perigo!


Vulcão é uma estrutura geológica criada quando o magma, gases e partículas quentes (como cinzas) escapam para a superfície terrestre. Eles ejectam altas quantidades de poeira, gases e aerossóis na atmosfera, podendo causar resfriamento climático temporário. São frequentemente considerados causadores de poluição natural. Tipicamente, os vulcões apresentam formato cônico e montanhoso. 
A erupção de um vulcão pode resultar num grave desastre natural, por vezes de consequências planetárias. Assim como outros desastres dessa natureza, as erupções são imprevisíveis e causam danos indiscriminados. Entre outras coisas, tendem a desvalorizar os imóveis localizados em suas vizinhanças, prejudicar o turismo e consumir a renda pública e privada em reconstruções. Na Terra, os vulcões tendem formar-se junto das margens das placas tectônicas. No entanto, existem exceções quando os vulcões ocorrem em zonas chamadas de pontos quentes. Por outro lado, os arredores de vulcões, formados de lava arrefecida, tendem a ser compostos de solos bastante férteis para a agricultura. A palavra "vulcão" deriva do nome do deus do fogo na mitologia romana Vulcano.  A ciência que estuda os vulcões designa-se por vulcanologia. 

Hibernação


A hibernação é um estado letárgico pelo qual muitos animais endotérmicos, em grande maioria de pequeno porte, passam durante o inverno, principalmente em regiões temperadas e árticas. Os animais mergulham num estado de sonolência e inatividade, em que as funções vitais do organismo são reduzidas ao absolutamente necessário à sobrevivência. A respiração quase cessa, o número de batimentos cardíacos diminui, o metabolismo, ou seja, todo o conjunto de processos bioquímicos que ocorrem no organismo, restringe-se ao mínimo. Pode-se dizer que qualquer animal que permanece inativo durante muitas semanas, com temperatura corporal inferior à normal, está em hibernação, embora as mudanças fisiológicas que acontecem durante o letargo sejam muito diferentes, de acordo com as diferentes espécies. Normalmente este fenômeno ocorre em regiões onde existe um inverno rigoroso e escassez de comida, mas existem algumas espécies que dormem na estação quente e seca, porque para elas as maiores ameaças são a alta temperatura e a falta de água. Este caso é conhecido como estivação. Muitos caracóis  passam por este estado durante as estações quentes e secas, durante as quais há pouco alimento e a umidade é escassa. Os animais que geralmente mergulham em letargo são os homeotermos ( erroneamente também chamados de animais de sangue quente). Existem homeotermos, como os ursos, que dormem durante o inverno, mas, como sua temperatura permanece pouco abaixo do normal, não se considera que tenham uma hibernação verdadeira, e sim uma estivação, que nada mais é do que uma hibernação, só que menos profunda, ou seja, o urso pode acordar se algo externo ocorrer. Entre os mamíferos que hibernam verdadeiramente estão o musaranho e o ouriço que cavam sua toca no solo; os esquilos, a marmota, que abrigam-se nos ocos das árvores; o morcego que se acomoda em velhas casas, cavernas e túmulos. A única ave conhecida que hiberna é o noitibó-de-nuttall. Durante a hibernação, os primeiros consomem a gordura armazenada; os outros acordam por curtos espaços de tempo para comer e evacuar. Durante o letargo profundo, a temperatura corpórea é apenas 1 ou 2 °C superior à ambiental; o número de batimentos cardíacos varia de 3 a 15 por minuto (na marmota é de 3-4 por minuto comparativamente aos 90-130 batimentos normais); os movimentos respiratórios são de 2 a 5 por minuto, menos de um décimo do número normal; o consumo de oxigênio reduz-se à vigésima parte do normal e o metabolismo, à trigésima. Para algumas espécies que vivem em clima quente e árido, os períodos de seca e calor excessivos podem ser tão terríveis quanto os invernos rigorosos. Para se defender, muitos animais entram em sono profundo ou sono estival. Este fenômeno ocorre com moluscos, artrópodes, peixes, répteis e mamíferos. Certos peixes pulmonados, como, por exemplo, a pirambóia, enterram-se na lama quando os rios em que vivem secam, abrigando-se ali até à chegada das chuvas.

sábado, 21 de maio de 2011

Hoje é dia mundial para o desenvolvimento cultural.

O pleno exercício do acesso de toda a Humanidade aos meios culturais, ao seu usufruir e colher dos mesmos os benefícios resultantes, como base indispensável para um desejado progresso global, constitui um direito inalienável e justifica-se como um dos objetivos primeiros do «Dia Mundial para o Desenvolvimento Cultural», a ter lugar a 21 de Maio. O Algarve, com justificado orgulho se afirma, tem realizado, quer por ação do Governo Central, como dos Órgãos do Poder Local, ao longo destes últimos mais de trinta anos, uma obra de grande valia e da empenhada colaboração da sociedade civil, traduzida quer em equipamentos como acontecimentos e o proporcionar às populações, residentes e ou em férias, a vivência de uma cultura, onde se funde a de cunho regional, como elemento da nossa própria identidade, com a universal. A par de novos teatros, auditórios, bibliotecas, museus e outros equipamentos infra-estruturais vocacionados objetivamente para a cultura, regista-se o aparecimento de diversos agrupamentos (Orquestra do Algarve, ACTA – Companhia de Teatro do Algarve, CDA – Companhia de Dança do Algarve e de tantos outros elencos) que desenvolvem uma notável ação cultural. Aponte-se ainda a programação existente também em toda a Região e ao longo de todo o ano, numa resposta às exigências das populações e dos visitantes, numa ação que se encontra em constante expansão, pelo que entendemos que a melhor comemoração deste «Dia Mundial para o Desenvolvimento Cultural» (21 de Maio) será a participação em qualquer ato ou local relacionado com a Cultura.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Por que lacrimejamos ao bocejar?

Sempre que bocejamos não só a lágrima como a nossa salivação aumenta. O bocejo acontece sempre que estamos cansados, entediados ou sonolentos. Nessas situações nosso metabolismo diminui, isso faz com que  a circulação sanguínea diminua, baixando também a concentração de oxigênio no organismo, inclusive no cérebro. O bocejo é um mecanismo de alerta. No momento em que inalamos uma grande quantidade de ar, isso acelera a circulação sanguínea e aumenta a concentração de oxigênio, principalmente no cérebro. Quando isso acontece, é como se “carregasse” a energia em nosso corpo, por alguns instantes, melhorando nossa atenção e nos deixando mais despertos. Quando o bocejo é necessário e bocejamos, os principais músculos da nossa face se movimentam provocando uma espécie de contorção facial. Todo processo envolve uma grande pressão muscular sobre as glândulas lacrimais e salivares provocando lágrimas e aumento da salivação. O resultado é lágrima e saliva em um momento em que não seriam necessários.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Por que choramos ao descascar cebola??

A cebola possui células de duas seções, sendo uma com enzimas alinases e outra com sulfuretos. Ao cortar a cebola, as enzimas alinases até então inodoras entram em contato com outras células que juntas produzem ácido pirúvico e syn-propanotial-S-óxido. Tais substâncias ao entrarem em contato com os olhos provocam irritações nas células nervosas do globo ocular causando a sensação de ardência. Em reação à irritação provocada pela cebola, as glândulas lacrimais são ativadas e liberam lágrimas que lavam os olhos e removem as substâncias irritantes. Os mesmos ácidos que são capazes de irritar os olhos são os mesmos que dão sabor e aroma ao bulbo. Existem inúmeras dicas para cortar cebolas e não sofrer com a liberação dos gases que irritam os olhos, dentre elas, cortar as cebolas embaixo de água, colocá-las na geladeira antes de ser cortada, encher a boca de água para cortá-la, respirar pela boca ao cortar as cebolas.

Mico-leão-preto nasce por cesariana em zoológico no Reino Unido


Um filhote de mico-leão-preto nasceu por meio de cesariana no fim de março num zoológico da ilha de Jersey, no Reino Unido. A Fundação Durrell, onde aconteceu o nascimento, anunciou o feito esta semana. Segundo a instituição, é a primeira vez em oito anos que um primata desta espécie se reproduz com sucesso fora do Brasil. O mico-leão-preto é considerado criticamente ameação pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN, na sigla em inglês) e consta também da lista de animais em risco de extinção do Ibama. É uma espécie endêmica do estado de São Paulo, onde tem como praticamente último reduto o Parque Estadual Morro do Diabo, no extremo oeste do estado. O bebê-mico nascido em Jersey recebeu o nome de Francisco, numa homenagem ao chefe da equipe de veterinários que o colocou no mundo. A mãe Roxanne já havia perdido dois filhotes, o que levou os especialistas a optarem pela cesariana. Francisco está recebendo leite a cada duas horas com uma seringa e logo deve aprender a se alimentar diretamente de uma tigela, o que permitirá que se junte a outros micos. A Fundação Durrel tem, atualmente, nove micos-leões-pretos. Fonte: G1

terça-feira, 17 de maio de 2011

A delicadeza do Bonsai


Bonsai significa "árvore em bandeja". Um bonsai precisa ter outros atributos entretanto além de simplesmente estar num vaso raso. A planta deve ser uma réplica de uma árvore da natureza em miniatura. Deve simular os padrões de crescimento e os efeitos da gravidade sobre os galhos, além das marcas do tempo e estrutura geral dos galhos. Essencialmente é uma obra de arte produzida pelo homem através de cuidados especializados. Apesar da forte associação entre o cultivo de bonsai e a cultura japonesa, na verdade foram os chineses os primeiros a cultivar árvores e arbustos em vasos de cerâmica. Há provas de que, já em 200 d.C. os chineses cultivavam plantas envasadas (mais conhecidas como Penjing) como prática habitual da sua atividade de jardinagem. No Ocidente o cultivo de bonsai como hobby desenvolveu-se bastante nos últimos 20 anos e hoje estas pequenas árvores estão espalhadas por todo o mundo. O crescente interesse pelo bonsai é partilhado com a crescente atenção dada às artes orientais nos últimos anos. Apesar de parecer um hobby extremamente exótico, o cultivo de árvores em miniatura não é por si só muito mais complexo do que a jardinagem comum aplicada a plantas em vasos. A diferença básica é o cuidado para reproduzir as características de uma árvore de porte muito maior, e aí reside a dificuldade. Mais do que cuidadosa poda e adubação, é preciso também muita paciência e alguma habilidade artística. Os estilos abaixo são os básicos tradicionais:
  • Chokan: Estilo ereto formal. Árvore com tronco reto, que vai diminuindo de espessura gradualmente, da base ao ápice. Os ramos devem ser simétricos e bem balanceados.
  • Moyogi: Estilo ereto informal. Tronco sinuoso, inclinando-se em mais de uma direção à medida que progride para o ápice, embora mantendo uma posição geral mais ou menos ereta. A árvore deve dar a impressão de um movimento gracioso.
  • Shakan: Estilo inclinado. Tronco reto ou ligeiramente sinuoso, inclinando-se predominantemente em uma direção.
  • Kengai: Estilo cascata. A árvore se dirige para fora da lateral do vaso e então se movimenta para baixo, na direção da base do vaso, ultrapassando a borda do mesmo. Os vasos nesse estilo são estreitos e profundos.
  • Han-kengai: Estilo semi-cascata. Semelhante ao anterior, com a árvore caindo a um nível abaixo da borda do vaso, mas não chega a altura da base do vaso.
  • Fukinagashi: Varrido pelo vento. Árvore com ramo e tronco inclinados como que moldados pela força do vento.

domingo, 15 de maio de 2011

Como espantar a preguiça em dias de frio.

Existem estratégias que auxiliam a manter a disposição e o bem-estar do corpo, nos dias de frio:
 
- A determinação é fundamental, crie metas e tenha objetivos claros;
- Sempre que possível adapte os horários para a prática de exercícios físicos, evitando os extremos. Evite horários que sejam cedo demais ou tarde demais, pois nestes casos a temperatura tende a ser ainda mais baixa;

- Aproveite para alongar o corpo sempre que acorda e durante intervalos do expediente de trabalho;
- Procure realizar exercícios com um grupo de amigos, pois nestes casos um estimula o outro;
- Se a sua referência são atividades na água, priorize um local que lhe ofereça uma piscina aquecida e um ambiente climatizado;
  - Se falta motivação para sair de casa e ir para a academia, leve a academia para a sua própria casa. Invista na aquisição de uma esteira e caminhe, assistindo ao seu programa favorito na TV;
- A ajuda de um personal trainner pode ser a solução para quem apresenta dificuldade em manter a regularidade para os exercícios no inverno. O compromisso financeiro e o incentivo personalizado, normalmente estimulam e favorecem a participação regular;
  - Aproveite o horário da ginástica laboral da empresa e observe como voltará mais disposta para realizar as atividades profissionais do decorrer do dia;
- Não deixe o frio esfriar o seu relacionamento amoroso. Pessoas sexualmente ativas apresentam mais disposição e rendimento no decorrer do dia;
- Aproveite as delicias da gastronomia do inverno com moderação. Comeu mais, lembre-se que é necessário gastar mais energia.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

A ternura da Amizade

O livro Melhores Amigos para Sempre (editora Alles Trade), da fotógrafa Rachael McKenna, traz imagens que dão vontade de apertar. Nas páginas da publicação, que chega ao Brasil com o preço de R$ 39,90, não há espaço para adultos - humanos ou não. Cachorrinhos, gatinhos, pintinhos e bebezinhos mostram talento para a profissão de modelo, graças à experiência de Rachael, que é reconhecida mundialmente graças a seus cliques de recém-nascidos e de animais. As imagens captadas pela lente de Rachael McKenna já foram publicadas em cartões, calendários e pôsteres no mundo inteiro.
Em cada página do livro Melhores Amigos para Sempre, há, também, uma mensagem sobre a amizade. O trabalho de Rachael já foi traduzido para 20 idiomas. Pudera: com cliques tão encantadores, fica fácil ter espaço em qualquer lugar do mundo!

Veja só que fofura...







Atividade física oxigena raciocínio das crianças

Seu filho precisa suar - Não é preciso tirar exemplos de estudiosos para exaltar a importância da educação física no desenvolvimento infantil. Em uma brincadeira de “queimada”, por exemplo, a criança raciocinar a força a ser empregada na bola, velocidade em escapar da bola, a pontaria. O mesmo procedimento se aplica basicamente no futebol e outros esportes. Os pais e as escolas não devem deixar de lado as brincadeiras e atividades físicas das crianças. Não adianta deixar os filhos com a agenda completa somente com a escola, aulas de línguas e computação. Não transforme o filho em um mini-adulto. Já não basta a vida concorrida que o pequeno terá quando crescer. Não vale antecipar essa competição. A atividade física, incluindo aí brincadeiras como esconde-esconde, pega-pega, passeios no playground, são importantíssimas para o melhor desempenho nas atividades intelectuais. A grade curricular das escolas também deve incluir entre as aulas um espaço para as crianças brincarem ou até mesmo aulas de educação física. Um lugar adequado como playground ou uma quadra, mesmo que pequena, também é um ambiente para as crianças se divertirem e melhorarem o rendimento escolar.
Dicas
Se a escola do seu filho não tem espaço para brincadeiras, leve-o para passear no parque ou pracinha perto de casa.
Esportes ou algum lugar onde a criança possa brincar com um profissional adequado devem fazer parte da agenda da criança como aula de línguas.
Atividade física faz bem para a saúde e para o desempenho na escola. Lembre-se sempre disso.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

De onde vem o Sal??

Para tirar a curiosidade de muita gente que não sabe de onde vem, nem o que compõe o sal...


Super Beijo, Clik Rosa!

sábado, 7 de maio de 2011

A origem do dia das mães


O Dia das Mães também designado de Dia da Mãe teve a sua origem no princípio do século XX, quando uma jovem norte-americana Anna Jarvis, perdeu sua mãe e entrou em completa depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a ideia de perpetuar a memória da mãe de Annie com uma festa. Annie quis que a homenagem fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas. Em pouco tempo, a comemoração e consequentemente o Dia das Mães se alastrou por todos os Estados Unidos e, em 1914, sua data foi oficializada pelo presidente Woodrow Wilson: dia 9 de Maio.
Dados Históricos: A mais antiga comemoração dos dias das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos deuses. O próximo registro está no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães. Era chamado de "Mothering Day", fato que deu origem ao "mothering cake", um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo. Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada em 1872 pela escritora Júlia Ward Howe, autora de O Hino de Batalha da República. No Brasil, em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica. Em Portugal, o Dia da Mãe é celebrado no primeiro domingo de Maio. Em Israel o Dia da Mãe deixou de ser celebrado, passando a existir o Dia da Família em Fevereiro.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

O poder do batom rosa!

Os batons em tons de rosa estão em alta. A cor clássica retornou, há algumas temporadas, com força total e não deixou mais a boca da mulherada. O produto é apresentado em diversas formas, em versões cintilantes, gloss e opacas. Mas, apesar de ser básica, a tonalidade não é tão democrática como muitas acreditam, por isso os maquiadores dão dicas para não errar na
escolha: Loiras de pele clara ficam bem com tons como o rosa bebê, o chiclete, e qualquer rosa bem clarinho. Na realidade, a pele clara fica muito boa com qualquer tom de rosa. As morenas ficam melhor com um rosa médio, mais queimado, ou então bem pink. Os tons medianos são mais indicados. As negras adaptam-se muito bem aos tons de rosa escuros, algo quase roxo ou violeta. Orientais ficam bem com tons bem rosas, não aquele tom que é voltado para o laranja ou o vermelho. Uma regra clássica de maquiagem continua valendo para o rosa: a escolha do batom influenciará diretamente em toda a produção do make. Afinal, boca chamativa determina maquiagem delicada e suave nos olhos. Quem preferir um olhar bem marcado, esfumado ou com sombra colorida, deve optar por um batom bem claro ou nude.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Origem do Pilates e seus benefícios a saúde


Pilates é um método de alongamento e exercícios físicos que se utilizam do peso do próprio corpo em sua execução. É uma técnica de reeducação do movimento, composto por exercícios profundamente alicerçados na anatomia humana, capaz de restabelecer e aumentar a flexibilidade e força muscular, melhorar a respiração, corrigir a postura e prevenir lesões. Elaborado em 1920 pelo alemão Joseph Pilates, teve diversas influências como yoga, zen budismo, artes marciais e exercícios praticados pelos antigos gregos e romanos. 
Pensando no princípio de “mente sã e corpo são”, Joseph criou uma atividade física baseada em seis princípios básicos: respiração, concentração, controle, alinhamento, centralização e integração de movimentos. Bem executada e orientada, não traz impactos nocivos para as articulações, ligamentos e musculatura. Qualidade de vida, consciência corporal, respeito e integração plena corpo-mente são o foco desse método. Pilates também inventou muitas máquinas para fazer exercícios. Na criação dos aparelhos ele aproveitava partes dos amortecedores dos carros alemães, isso durante a 1ª Guerra Mundial, após o fim da guerra e com a Europa toda destruída, ele mudou-se para Nova York, onde aperfeiçoou sua técnica e suas máquinas. Deve sempre ser aplicado apenas por educadores físicos ou fisioterapeutas, através de aulas que usualmente têm duração de 1 hora em aparelhos próprios ou no solo. Entre todos os benefícios que o pilates pode oferecer a saúde destacamos o aumento da resistência física e mental, alonga a musculatura que envolve a coluna vertebral equilibrando-a, apresenta melhora na coordenação motora, estimula o sistema circulatório e respiratório, alivia dores crônicas, tensões e estresses, aumenta à flexibilidade e a mobilidade, melhora a concentração.
Como os benefícios contribuem na prevenção de futuras lesões, o método é muito recomendado a casos de reabilitação de problemas na coluna, uma vez que traz alívio a dores crônicas.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Ecologicamente correto

Em tempos em que se fala muito em reaproveitar, reciclar, reutilizar... Este argentino teve uma ideia maravilhosa e usou milhares de garrafas e construiu uma casa, juntando criatividade e amor ao meio ambiente. Vamos adotar essa ideia!! O artesão argentino Rubén 'Tito' Ingenieri, 47 anos, usou cerca de 6 milhões de garrafas para construir sua casa, uma oficina de arte e um farol. Tito mora na cidade de Quilmes, a 20 minutos da principal cervejaria argentina. 'Destes 6 milhões de garrafas, pelo menos 100 mil são de cerveja', disse ele à BBC Brasil. O artesão, que não consome bebidas alcoólicas, recolheu as garrafas durante 21 anos. Elas foram encontradas na rua e doadas por moradores ou pela prefeitura local. 'Em um vídeo que fizemos para promover o museu, apareço bebendo numa garrafa de cerveja, mas é água. O que vale é a garrafa', disse.Tito diz que a sua casa é também um museu, tendo recebido delegações do Japão, da Holanda, da Noruega e do Canadá. '(Construir casas com garrafas) pode ser uma solução para o problema da moradia. É muito mais barato que uma casa de tijolos', afirmou. A casa está aberta à visitação publica, com entrada gratuita. O argentino afirma que, às vezes, 40 pessoas percorrem o local ao mesmo tempo.

A casa, com pisos e escadas de madeira, tem um quarto, uma sala, uma sala de jantar, um banheiro e uma cozinha. 'É uma casa como qualquer outra, mas com mais cores e iluminação graças aos tons das garrafas', disse. Tito, que iniciou, mas não concluiu, os estudos em belas artes, se define como um 'operário das artes'. Durante os 21 anos em que recolheu as garrafas, Tito diz ter trabalhado 8 horas por dia nas construções à base de ferro, areia, cimento, madeira e uma cola para prevenir a umidade. 'Soldei cada detalhe destas obras. Estou satisfeito com o resultado'. Tito é porteiro em uma escola na localidade de Bernal, a 25 minutos de Quilmes. Além da casa onde mora, ele construiu a oficina, onde ensina aos interessados o que aprendeu sozinho, e um farol de 12 metros de altura. O artesão afirma que se mudará para o farol quando ele ficar pronto, em dois meses. 'O farol também tem quarto e sala, mas com mais requinte que a casa-museu, porque é mais alto', disse. Nos planos de Tito, está a construção de uma sala de cinema para os moradores locais, dentro da casa. 'Quero que muitos vejam que é possível fazer tudo isso sozinho. Com estas casas seria possível resolver problemas dos sem-teto e com criatividade'.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Que delícia!!

Para começar nossa semana de maneira gostosa, que tal um post sobre os benefícios do sorvete que apesar de ser considerado uma guloseima, na verdade é muito nutritivo! Obaa!! Os sorvetes possuem muitas características benéficas à saúde.Sua maior popularidade está na associação de prazer, conveniência, sabor, aspectos nutritivos e benefícios à saúde. E a riqueza da sua composição faz do sorvete um alimento diferenciado. Do ponto de vista nutricional, o sorvete é um excelente complemento alimentar de alto valor nutritivo porque contém proteínas, açúcares, gordura vegetal e/ou animal, vitaminas A, B1, B2, B6, C, D, K, cálcio, fósforo e outros minerais essenciais numa nutrição balanceada. O valor calórico dos sorvetes depende da sua composição, ou seja, das matérias-primas utilizadas para sua fabricação. Um sorvete produzido com leite fornecerá uma maior quantidade de proteínas e gordura se comparado a um sorvete que utiliza água. Além do valor nutricional, os médicos recomendam sorvetes para pacientes em processo de recuperação pós-operatório de cirurgias no nariz (adenóide), garganta (amídalas), cirurgias bucais ou dentárias devido a sua ação anestésica local. Por esses motivos, o sorvete não é considerado uma guloseima, e sim um alimento nutritivo e importante para a dieta balanceada e com mais energia.